Ministério da Indústria
Economia

Pólo Industrial de Viana rescinde contrato com empresas inoperantes

Pelo menos 150 processos de rescisão de contratos e de reversão das áreas não utilizadas no Pólo de Desenvolvimento Industrial de Viana encontram-se actualmente em curso, informou, em Luanda, o presidente do Conselho de Administração dessa instituição, Luís Ribeiro.

Segundo o responsável, que falava no final de um colóquio sobre o 19º aniversário da criação do pólo, realizado no dia 13 do corrente mês, dos referidos processos 15 já foram concluídos e os espaços já estão livres e 32 estarão totalmente livres nos próximos dias.

Luís Ribeiro avançou que estão a iniciar alguns processos judiciais para situações em que é necessária a intervenção dos tribunais.

“São processos que continuam e esperamos que até ao fim do ano possamos ter áreas significativas disponíveis para entregar aos investidores que têm reais condições de implantação dos seus projectos”, disse.
Questionado sobre a demanda por espaços na zona do Pólo de Viana, o presidente do Conselho de Administração adiantou que nesse momento possuem 87 candidaturas para novos projectos.

O Pólo de Desenvolvimento Industrial de Viana foi criado pelo Executivo conjunto nº 41/98, dos ministérios das Finanças e da Indústria.

Conta actualmente com pelo menos 600 empresas instaladas, das quais 330 a funcionar com cerca de seis mil e 500 trabalhadores.

Possui unidade fabris dos sectores Alimentar, Construção Civil, Metalo-mecânica, Bebidas, Tecnologia, dentre outras.